Your browser is out-of-date.

In order to have a more interesting navigation, we suggest upgrading your browser, clicking in one of the following links.
All browsers are free and easy to install.

 
  • in vitruvius
    • in magazines
    • in journal
  • \/
  •  

research

magazines

my city ISSN 1982-9922

abstracts

português
O texto aborda o processo de requalificação urbana da Praça Deodoro, situada na área central da cidade de São Luís – MA, relatando as transformações urbanísticas e sociais que ocorreram no local.

english
The text deals with the urban requalification process od Praça Deodoro, located in the central area of the city of São Luís – MA, reporting the urban and social transformations that occurred in the place.

español
El texto discute el proceso de recalificación urbana de Praça Deodoro, ubicada em el área central de la cuidad de São Luís – MA, informando las transformaciones urbanas y sociales que ocurrieron em el lugar.

how to quote

PEREIRA, Marcio Rodrigo da Silva. Praça Deodoro, São Luís MA. Minha Cidade, São Paulo, ano 20, n. 239.01, Vitruvius, jun. 2020 <https://pop.www.vitruvius.com.br/revistas/read/minhacidade/20.239/7764>.



A Praça Deodoro é considerada um dos principais espaços livres públicos situado na área central da cidade de São Luís, capital do Estado do Maranhão. Essa região central passou por uma intervenção urbana que reestruturou as Praças Deodoro e Panteon, e as Alamedas Silva Maia e Gomes de Castro, que compõem uma área denominada de Complexo Deodoro, mas que grande parte da população a chama de Praça Deodoro. A intervenção foi realizada por meio de um convênio entre o Instituto de Patrimônio Histórico e Artístico – Iphan e a Prefeitura Municipal, atendendo aos anseios da população, que há décadas conviviam com o abandono e a degradação daquele local.

Praça Deodoro
Foto Marcio Rodrigo da Silva Pereira

A Praça Deodoro, representa parte da história da cidade, e já recebeu diferentes denominações como: antigo Campo do Ourique, Largo do Quartel e Praça da Independência. No início do século 20, as moradias no entorno das praças eram destinadas as classes mais privilegiadas socialmente no cenário ludovicense, o que demonstrava a valorização do local. As antigas moradias foram substituídas, nos dias de hoje, por inúmeros estabelecimentos comerciais (1).

No ano de 1951, foi inaugurado o prédio da Biblioteca Pública Benedito Leite, em estilo neoclássico e situado na Praça do Panteon, na parte mais alta e central de São Luís. Ao longo da história, a Praça Deodoro, como é popularmente chamada pelos maranhenses, foi e continua até os dias de hoje como palco de inúmeras manifestações sociais (2). Com o tempo, a Praça Deodoro envelheceu, e sem a devida manutenção por parte do poder público, foi perdendo suas características históricas e o seu significado, tornando-se um local transitório, abandonado e esquecido, perdendo, assim, as suas características de lugar. De acordo com Marc Augé (3), o lugar possui três características: identitárias, relacionais e históricas, permitindo a interação social entre os habitantes de uma cidade.

Alameda Gomes Castro
Foto Marcio Rodrigo da Silva Pereira

A intervenção realizada pelo poder público transformou o local antes degradado, num espaço público de qualidade com desenho urbano ordenado, áreas harmoniosas e arborizadas, com infraestrutura adequada, priorizando a circulação de pedestres e permitindo a vivência do lugar. A requalificação urbanística destacou a relevância e a estética das novas praças e alamedas, renovando o piso com a colocação de pavimento em concreto lapidado, granito e grama nos canteiros. Novos mobiliários foram instalados com a finalidade de garantir o conforto dos usuários, e a melhoria do sistema de iluminação pública fez com que houvesse a utilização do espaço no período noturno. É importante ressaltar que na Praça Panteon foram realocados os bustos de 18 nomes notáveis da literatura e arte maranhenses, contribuindo para o resgate da memória do título de “Atenas Brasileira” (4). A cidade recebeu esse título, pois, entre o século 19 e início do século 20, a vida cultural local ganhou intensidade e expressividade com uma enorme quantidade de intelectuais e escritores, tais como: Gonçalves Dias, João Lisboa, Odorico Mendes, Aluízio Azevedo, entre outros.

Alameda Silva Maia
Foto Marcio Rodrigo da Silva Pereira

Antes da revitalização da Praça Deodoro, houve uma ação por parte do Poder Público para retirada dos vendedores ambulantes, com o intuito de manter o controle e o ordenamento da utilização de espaços públicos na área central da cidade, o que trouxe um descontentamento por parte dos ambulantes (5). A intervenção proposta para requalificação do Complexo Deodoro não previu o retorno desse tipo de comércio para o local. A logística de comercialização dos mais variados produtos nas praças, impedia a utilização por parte da população para atividades de lazer e de contemplação da paisagem urbana, já que ocupava grande parte do espaço público. Entretanto, é de responsabilidade do Poder Público garantir meios para que os vendedores ambulantes possam comercializar os seus produtos, num local seguro e adequado para realização dessas atividades econômicas.

Biblioteca Pública Benedito Leite, vista frontal
Foto Marcio Rodrigo da Silva Pereira

Instituir o princípio de explorar as potencialidades dos espaços livres públicos nas cidades brasileiras, evitando o seu abandono e esquecimento, é um dever do Poder Público e deve ser seguido em todas as cidades brasileiras. Nesse sentindo, recuperando esses espaços degradados em áreas centrais, devolve-se a população um lugar de vivências, onde as ações do homem adquirem o seu real significado. O planejamento urbano proposto para a centralidade da cidade de São Luís resgatou parte da história urbana, reconstruindo o sentimento de pertencimento e de valorização patrimonial daquele local. No atual cenário de fragmentação das cidades e da perda de espaços livres públicos – para empreendimentos privados e monitorados – é salutar apresentar um planejamento urbano que valorize a dinâmica da vida cotidiana, inserindo o cidadão no contexto urbano, com enfoque na qualidade de vida. Por fim, os citadinos desejam o desenvolvimento de políticas públicas urbanas que possam reconstruir os aspectos históricos, identitários e relacionais de nossas cidades.

Vista Lateral. Bilioteca Pública Benedito Leite
Foto Marcio Rodrigo da Silva Pereira

notas

1
BASTOS, Thiago. Largo do Quartel: passado e presenta da Praça Deodoro. Caderno Cidades. O Estado do Maranhão, São Luís, 5 mai. 2018, p. 1.

2
MARANHÃO (Estado). Secretaria de Cultura. Histórico da Biblioteca Pública Benedito Leite <www.cultura.ma.gov.br/bpbl/index.php?page=historico>

3
AUGÉ, Marc. Não lugares: introdução a uma antropologia da supermodernidade. Campinas, Papirus, 2012.

4
IPHAN. Concluída primeira etapa das obras na Rua Grande em São Luís, MA. Brasília, Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional, 17 dez. 2018. Disponível em: <http://portal.iphan.gov.br/noticias/detalhes/4947/concluida-primeira-etapa-de-obras-na-rua-grande-em-sao-luis-ma>.

5
Operação da Blitz urbana retira vendedores ambulantes de uma praça em São Luís. G1 MA, São Luís, 10 ago. 2018 <https://glo.bo/36QFt9l>.

sobre o autor

Marcio Rodrigo da Silva Pereira é arquiteto e urbanista pela Universidade Estadual do Maranhão – UEMA, mestre em Planejamento Urbano e Regional pela Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da USP – FAU USP. Professor do Curso de Arquitetura e Urbanismo do Centro Universitário UNDB.

comments

newspaper


© 2000–2020 Vitruvius
All rights reserved

The sources are always responsible for the accuracy of the information provided