Your browser is out-of-date.

In order to have a more interesting navigation, we suggest upgrading your browser, clicking in one of the following links.
All browsers are free and easy to install.

 
  • in vitruvius
    • in magazines
    • in journal
  • \/
  •  

research

magazines

interview ISSN 2175-6708

abstracts

how to quote

SEDREZ, Maycon. Projetando e fabricando complexidade. Entrevista com Florian Gauss. Entrevista, São Paulo, ano 17, n. 065.01, Vitruvius, jan. 2016 <https://pop.www.vitruvius.com.br/revistas/read/entrevista/17.065/5878>.


Grande Museu Egípcio/Grand Egyptian Museum, Cairo, Egito/Egypt. Heneghan Peng Arquitetos/Heneghan Peng Architects
Archimation [www.hparc.com]

Maycon Sedrez: Você já trabalhou em um projeto que foi gerado com fractais ou recursividade?

Florian Gauss: Há um que avançou bastante, é uma fachada que é parte do Grande Museu Egípcio no Cairo em frente das pirâmides. Você deve conhecer esse projeto. Heneghan Peng são os arquitetos de Dublin. A peneira de Sierpinski é um simples fractal, o que é, claro, um princípio muito bom e racional, cria uma grelha recíproca adaptável para qualquer triângulo. É uma abordagem simples e poderosa. Eu não diria que é uma forma muito complexa, não é realmente complexa. É rigorosa e gera uma forma visual interessante. Estruturalmente você pode dizer que é sensível, não é algo que foi otimizado, contudo possui uma organização interna razoavelmente utilizável para uma estrutura. Uma viga se apoiando na outra. Provavelmente não é a maneira mais eficiente, se você fizer com aço plano. Contudo, é sempre uma troca do que precisa ser um equilíbrio entre suas inspirações para o projeto, os métodos que você tem disponível para fabricação, e claro impactos estruturais que são relativos para as suas aspirações.

MS: Na verdade eu estou estudando o Grande Museu Egípcio para a minha tese. Você tem alguma informação que poderia compartilhar sobre o projeto ou detalhes do projeto?

FG: Claro que eles são todos geometricamente relacionados. Você conhece a história: painéis, iterações de Sierpinski, e no meio uma rede de cabos. Você tem seis gerações, no meio você tem os triângulos maiores que são sempre deixados abertos, e eles vão receber a rede de cabos. A coisa legal é que a maneira estrutural de pensar está expressa na hierarquia e na profundidade das vigas. Pois você sempre tem a viga menor descarregando na viga maior. Você tem vigas grandes e as próximas são curtas, então são menores, elas descarregam em si mesmas e vão ficando cada vez menores. Porque a carga nas vigas sempre fica menor, a seção da viga pode ser menor também. Tem uma lógica interna muito forte. Claro, portanto você pode colocar em diferentes níveis, elas não estão na mesma camada. Elas estão todas, como você provavelmente sabe em uma diferente camada. O que dá esse efeito plástico 3D que enfatiza a hierarquia dos membros.

Grande Museu Egípcio/Grand Egyptian Museum, detalhe da fachada/façade detail, Cairo, Egito/Egypt. Heneghan Peng Arquitetos/Heneghan Peng Architects
Richard Davies [www.hparc.com]

Claro, nós desenvolvemos o programa que gera primeiro a geometria fractal do triângulo de Sierpinski, o que é bastante simples. Há o triângulo de Pascal que dá o mapa inteiro da subdivisão de Sierpinski e é uma série de números. Então esse tipo é o método mais sofisticado, mas você também pode fazer completamente geométrico, apenas pegue a metade dos lados do triângulo e coloque um ponto lá. Ambos os métodos irão dar o mesmo resultado. Então você tem a geometria, e a geometria é o único dado de entrada, você precisa de três pontos. Eu também dei aos perfis uma direção, pois nós precisamos orientar os perfis em direção do sistema de grelha não-ortogonal do prédio principal.

Aqui, você pode também pode dar os perfis das diferentes gerações. Você dá ao membro dimensões, pois os triângulos estão ficando cada vez menores quando você percorre a parede. Eles estão mudando em tamanho, portanto você precisa atribuir diferentes dimensões. O programa está preparado para gerar todas as diferentes peças. Também nós brincamos um pouco com a rede de cabos em duas ou três direções, e a densidade pela metade, então você não tem em cada geração um cabo. Assim você pode dar as seções de aço que nós programamos também com as cargas e a tensão prévia dos cabos.

Geração 6 de Sierpinski e a rede de cabos/Generation 6 Sierpinski and Cable Nets
Florian Gauss, 2015

Ficará assim, é o triângulo de Pascal então é uma fórmula bastante simples. Onde o número de triângulos é gerado dependendo de quantas gerações de Sierpinski você quer. Esse é o modelo de palitos que é gerado automaticamente do nosso código, então os elementos marrons são os cabos tensionados, os verdes são as barras. Agora por eles terem um sistema estrutural diferente todas as cargas estruturais não estão em um plano, elas são de alguma maneira deslocadas. Isso é algo que é considerado aqui, você pode ver, o programa estrutural tem uma funcionalidade específica que faz a conexão dos nós juntos. O que nós fizemos foi a cada geração de Sierpinski acrescenta seu próprio nó, em diferentes camadas no qual se deve informar e então nós os conectamos rigidamente. Quando você vê aqui parece que eles estão flutuando, mas tem um método no software estrutural que você pode indicar: considere uma ligação rígida, pegue todos os nós juntos e trate os como se fosse um único nó. Mas está considerando todas as excentricidades, pois isso é algo bem complexo. E essa é a fachada completa.

Hierarquia dos membros e propriedades e cargas/Hierarchy of members and properties and loads
Florian Gauss, 2015

comments

065.01
abstracts
how to quote

languages

original: português

outros: english

share

065

065.02

Entrevista a José María de Lapuerta

Leandro Medrano

newspaper


© 2000–2020 Vitruvius
All rights reserved

The sources are always responsible for the accuracy of the information provided