Your browser is out-of-date.

In order to have a more interesting navigation, we suggest upgrading your browser, clicking in one of the following links.
All browsers are free and easy to install.

 
  • in vitruvius
    • in magazines
    • in journal
  • \/
  •  

research

magazines

interview ISSN 2175-6708

abstracts

português
Isa Clara Neves entrevistou Eduardo Souto de Moura no ano de 2012, um ano depois de ter ganho o Prêmio Pritzker. A conversa ocorreu no ateliê do arquiteto, na cidade do Porto, Portugal.

how to quote

NEVES, Isa Clara. Entrevista com Eduardo Souto de Moura. Entrevista, São Paulo, ano 16, n. 063.03, Vitruvius, jul. 2015 <https://pop.www.vitruvius.com.br/revistas/read/entrevista/16.063/5603>.


Estádio Municipal, Braga, Portugal, 2003. Arquiteto Eduardo Souto de Moura
Foto Christian Richters [website Pritzker Prize]

Isa Clara Neves: E alentos que lhe têm chegado para continuar o seu trabalho? Esta lufada de Prêmios que nestes últimos dois anos recebeu, que impacto é que sente a nível pessoal e a nível profissional?

Eduardo Souto de Moura: A nível pessoal é agradável, não sou falso modesto a dizer “não os merecia, pá!”.

Até agora trabalhei muito. Agora menos, só. trabalho de tarde, estou a fazer coisas que nunca fiz: a ler mais, a sair, ouvir música, descobri que tinha discos por abrir ainda! Cultivo fazer algumas coisas mais. A profissão era de tal maneira absorvente que deixei de as fazer. 

Portanto, a nível dos Prêmios é compensador. A atividade que tive até agora tem sido de grande intensidade, portanto é uma espécie de reconhecimento, fico contente. E fiquei mesmo muito contente sobretudo com este último Prêmio, o Prêmio Wolf das Artes que não tem a ver somente com a arquitetura, tem a ver com as artes e ciência e, pela lista que eu vi, são pessoas que eu considero muito, pintores e músicos. Não é um Prêmio de profissão específico.

Tenho praticamente suspenso tudo, porque o pouco tempo que tenho aqui em Portugal é para poder acompanhar os trabalhos. Praticamente mantive o mesmo número de pessoas na chamada “crise”, e portanto tenho trabalho, aguento, e é preciso fazê-lo. Sobra muito pouco tempo para fazer outro tipo de atividades...

ICN: E as aulas que ainda lecciona?

ESM: Este ano não dei, praticamente. No ano passado dei na Suíça. Quando dou aulas tenho sempre o mesmo assistente, com quem me dou muito bem e resolve-me muitos dos problemas, que são pesados. Portanto eu fico só com a carne do lombo.

ICN: E no Porto também lecciona?

ESM: No Porto não estou a dar aulas, estou a fazer outro tipo de trabalho, que é a preparação de um curso de pós graduação.

ICN: Com alguma temática específica?

ESM: Não. É um curso pós graduação, frequentado por arquitetos, e depois é uma especialização, no fundo. Já não se discute a formação do arquiteto mas é uma prática, um exercício, feito com vertentes diferentes, com professores convidados, é mais exigente, mais profissionalizado de que o curso em si.

Casa em Cascais, Cascais, Portugal, 2002. Arquiteto Eduardo Souto de Moura
Foto Luís Ferreira Alves [website Pritzker Prize]

 

comments

063.03
abstracts
how to quote

languages

original: português

share

063

063.01

Entrevista com Maria Madalena Pinto da Silva

Júlia Coelho Kotchetkoff

063.02

Entrevista com o arquiteto Peter Mehrtens

Gabriela Celani, Wilson Barbosa Neto and Juarez Moara Santos Franco

063.04

Entrevista com a arquiteta paisagista Rosa Kliass

Antônio Agenor Barbosa, Rachel Paterman and Stella Rodriguez

063.05

Entrevista com o designer Sergio Rodrigues

Marcelo Bezerra

newspaper


© 2000–2020 Vitruvius
All rights reserved

The sources are always responsible for the accuracy of the information provided