Your browser is out-of-date.

In order to have a more interesting navigation, we suggest upgrading your browser, clicking in one of the following links.
All browsers are free and easy to install.

 
  • in vitruvius
    • in magazines
    • in journal
  • \/
  •  

research

magazines

drops ISSN 2175-6716

abstracts

português
Edson da Cunha Mahfuz, professor da UFRGS, homenageia Carles Martí Arís, arquiteto e crítico de arquitetura espanhol recém-falecido devido infecção causada pelo coronavírus.

how to quote

MAHFUZ, Edson. Carles Martí Arís (1949-2020). Estudante, pesquisador, editor, pensador, crítico, escritor, construtor e promotor cultural. Drops, São Paulo, ano 20, n. 152.01, Vitruvius, maio 2020 <https://pop.www.vitruvius.com.br/revistas/read/drops/20.152/7727>.



Na sexta-feira, 1º de maio, recebi a notícia do falecimento do meu querido amigo Carles Martí Arís (1949-2020), a quem muitos também conheciam aqui no Brasil. Apesar da tristeza, é obrigação relembrá-lo e tentar explicar quem foi para quem não o conhecia. Ao longo de uma carreira de mais de cinquenta anos, Carles desenvolveu sua atividade em todas as frentes possíveis: estudante, pesquisador, editor, pensador, crítico, escritor, construtor e promotor cultural.

Apesar de sofrer do Mal de Parkinson há pelo menos dez anos e de estar internado em uma clínica geriátrica há seis, acabou sendo contaminado pelo coronavírus e nos deixou. Que descanse em paz; uma frase muito apropriada a quem há tanto tempo lutava contra uma enfermidade que o havia incapacitado severamente.

Trata-se de uma perda enorme. Carles era uma unanimidade positiva, admirado por muitos, e possuía uma rara capacidade de conviver bem com todos, sem ficar preso a nenhum grupo específico. Era uma pessoa discreta, generosa, de extraordinário bom humor, com uma enorme capacidade de fazer amigos e conectar os amigos que ia fazendo pelo mundo.

Extremamente lúcido e organizado mentalmente, foi fundamental na organização dos planos de trabalho dos cursos em que esteve envolvido na ETSAB UPC. E o fazia sem antagonizar ninguém, confiando na clareza das suas ideias. Curiosamente, nunca chegou a ser professor catedrático, mas era tão respeitado como se fosse.

Alguém o definiu como pouco conhecido, mas muito reconhecido. Sim, era muito apreciado por seus colegas, estudantes e orientandos. Peço perdão pelo tom autobiográfico, mas tive a oportunidade de comprovar isso pessoalmente pois, a partir de 1996, Carles me acolheu, me hospedou, me apresentou a muitas pessoas, abriu portas, me fez conhecer melhor Barcelona e me iluminou com a sua lucidez e conhecimento.

Sua produção textual foi das coisas importantes que aconteceram na segunda metade do século 20, tendo influenciado a muita gente, entre os quais me encontro. Publicou três livros de excepcional qualidade: Las variaciones de la identidad, extraído da sua tese doutoral dirigida por Giorgio Grassi, ainda hoje o melhor texto que há sobre o conceito de tipo em arquitetura, visto desde o ponto de vista do projeto (1); Silencios elocuentes (2); e La cimbra e el arco, pela Fundación Arquia (3), reunindo alguns dos seus textos mais importantes.

Escrevia de modo claro e objetivo, porque seu pensamento era assim, o que não eliminava a ocasional licença poética. Nos seus textos e palestras não se encontra nada daquilo que é hábito nos dias de hoje: argumentações mirabolantes e confusas, que buscam demonstrar erudição e profundidade quando apenas encobrem a confusão mental do palestrante/escritor.

Entre suas muitas iniciativas culturais, pode-se destacar o concurso bienal de teses doutorais organizado pela Fundación Arquia, as coleções Arquia/tesis e La cimbra, publicadas pela mesma fundação. Anteriormente havia impulsionado uma coleção de textos essenciais editados por Ediciones del Serbal, assim como foi um dos principais criadores e editores das revistas 2C – Construcción de la Ciudad, que durou de 1972 a 1985 e introduziu principalmente a tendenza italiana aos leitores espanhóis, e DPA, revista do Departamento de Projetos Arquitetônicos da ETSAB, da qual cheguei a fazer parte do corpo editorial. Por iniciativa dele, é claro.

Além disso se manteve ativo como arquiteto, em parceria com Antonio Armesto, tendo uma obra caracterizada pela austeridade, abstração, diálogo contínuo com a cidade e qualidade construtiva elevada.

Devido à enfermidade que o abateu foi obrigado a aposentar-se precocemente de todas as suas atividades acadêmicas e profissionais. No entanto, em 2014 lhe foi concedido o título honorífico de Magister Honoris Causa, isto é, como mestre de todos os que de algum modo se relacionaram com ele. Felizmente foi possível prestar-lhe essa merecida homenagem em vida.

Mais um dos bons que nos deixa.

notas

NE - O nome do arquiteto em catalão é Carles, mas nos livros publicados em espanhol e italiano seu nome é grafado como Carlos.

1
Publicado originalmente em italiano: MARTÍ ARÍS, Carlos. Le variazioni dell’identità. Il tipo in architettura. Milão, CLUP, Politecnico di Milano, 1991. Primeira edição em espanhol: MARTÍ ARÍS, Carlos. Las variaciones de la identidad. Ensayo sobre el tipo en arquitectura. Barcelona, Ediciones del Serbal, 1993. Reeditado pela Fundación Arquia em 2014.

2
MARTÍ ARÍS, Carlos. Silencios elocuentes. Barcelona, Edicions UPC, 1999. O livro será reeditado em breve, como parte da coleção Poliédrica da UPC da Universidad Politécnica de Catalunya.

3
MARTÍ ARÍS, Carlos. La cimbra y el arco. Barcelona, Fundación Caja de Arquitectos, 2005.

sobre o autor

Edson da Cunha Mahfuz é arquiteto e professor de projetos na Universidade Federal do Rio Grande do Sul – UFRS, Porto Alegre.

Capa do livro Las variaciones de la identidad, de Carlos Martí Arís

Capa do livro Silencios elocuentes, de Carlos Martí Arís

Capa do livro La cimbra y el arco, de Carlos Martí Arís

 

comments

152.01 coronavírus
abstracts
how to quote

languages

original: português

share

152

152.02 iphan em risco

Em defesa do Iphan e do patrimônio histórico e artístico nacional

Fórum de Entidades em Defesa do Patrimônio Cultural Brasileiros

152.03 iphan em risco

Manifestação do CAU em defesa do Iphan

CAU/BR e CAU/UF repudiam a nomeação de servidores sem qualificação técnica para cargos de direção e coordenação no Iphan

Fórum de Entidades em Defesa do Patrimônio Cultural Brasileiros

152.04 coronavírus

Espanha, habitação e Covid-19

Tiago Augusto da Cunha

152.05 coronavírus

Fogos de artifício e confissão de culpa

Carlos A. Ferreira Martins

152.06 design

Design e pandemia

Ethel Leon

152.07 política

Contra as teses dogmáticas

É hora de encontrar os elos fracos da cadeia fascista

Roberto Romano

152.08 homenagem

Italo Campofiorito (1933-2020)

Falece o arquiteto que tombou Brasília

José Pessôa

152.09 homenagem

Wagner Garcia (1949-2020)

Um engenheiro a serviço da arquitetura

Elisabete França, Lucas Nobre, Maria Teresa Diniz, Marcos Boldarini and Rita Canutti

newspaper


© 2000–2020 Vitruvius
All rights reserved

The sources are always responsible for the accuracy of the information provided