Your browser is out-of-date.

In order to have a more interesting navigation, we suggest upgrading your browser, clicking in one of the following links.
All browsers are free and easy to install.

 
  • in vitruvius
    • in magazines
    • in journal
  • \/
  •  

research

magazines

drops ISSN 2175-6716

abstracts

português
A arquiteta Berta de Oliveira Melo comenta a situação dramática dos sem teto e moradores de comunidades pobres nas grandes cidades brasileiras, desprotegidos diante do flagelo do coronavírus.

how to quote

MELO, Berta de Oliveira. A dignidade é para todos, que o coronavírus nos lembre disso. Drops, São Paulo, ano 20, n. 151.04, Vitruvius, abr. 2020 <https://pop.www.vitruvius.com.br/revistas/read/drops/20.151/7710>.



Se quisermos sair mais humanizados e menos egoístas e doentes dessa crise, eis muitas oportunidades que afloram.

Reconhecer o número de pessoas informais e invisíveis ao Estado – e a tantos outros ditos cidadãos – trazendo o projeto renda mínima, por exemplo. Passada a quarentena, essas pessoas vão voltar a ter que trabalhar de dia para, se der sorte, ter o que comer à noite, sem segurança alguma, tendo que escolher, como agora, entre a doença e a fome? Dar abrigo aos moradores de rua e sem teto. Mas afinal, esses projetos serão provisórios e teremos o cinismo de enxotá-los assim que o pico da curva passe? Escancara-se a urgência de ocupar e reformar prédios vazios da cidade e dos projetos de habitação social. Mas também de pensar no valor absurdo dos aluguéis em São Paulo, motor da especulação imobiliária, que sufoca a todos e que faz com que uma cama em um quarto coletivo em pensões no centro da cidade chegue a custar trezentos reais.

Lavar as mãos com água e sabão, a recomendação da Organização Mundial da Saúde – OMS que parece mais simples, traz à tona a desigualdade e marginalidade que as nossas cidades perpetuam. Enquanto na Rocinha, no Rio de Janeiro, o serviço de abastecimento tem o descalabro de deixar pessoas com água encanada sem abastecimento por quatro dias – enquanto a cidade do cartão postal se aliena a tal problema –, há muitos que não têm sequer caixa d’água, sequer encanamento, mas pasmem, às vezes têm casas: debaixo dos viadutos, das pontes, à margem das rodovias. São pessoas que insistem em construir um lar, enquanto a cidade tenta a todo custo exterminá-los. Nem só os moradores de rua não têm acesso à água. O buraco é muito mais embaixo. Sem contar o problema de que ainda que chegue a água, às vezes falta o sabão. De repente, com o coronavírus a elite e a classe média ensimesmadas percebem que sua saúde depende de que todos lavem as mãos, dessa vez literalmente, apesar de ser uma ironia oportuna. Será que é preciso ir ao Ibirapuera para se ter bebedores e banheiros públicos – agora nem públicos mais?

Renda mínima, habitação e acesso à água, são questões urgentes desde que o ser humano é humano. Será preciso um vírus para que nos lembremos disso? Será preciso uma pandemia para se ter coragem de lutar pela dignidade alheia nas nossas cidades, pois essa também é a nossa dignidade? A luta é urgente, muito além da curva do coronavírus. Vamos fazer o exercício de enxergar e falar sobre isso. A solidariedade de hoje, não vai resolver o problema de amanhã, é hora de pegar essas sementes de projetos e implantá-los nas nossas cidades.

sobre a autora

Berta de Oliveira Melo é arquiteta, urbanista e paisagista, com mestrado pela FAU USP.

 

comments

151.04 coronavírus
abstracts
how to quote

languages

original: português

share

151

151.01 coronavírus

O que se (des)aprende com a pandemia

O coronavírus como veneno-remédio

Abilio Guerra

151.02 homenagem

Rizza Paes Conde, arquiteta (1935-2020)

Otavio Leonidio

151.03 neuroarquitetura

Neuroarquitetos e o compromisso com a saúde corporativa

Juliana Duarte dos Santos Purcinelli

151.05 coronavírus

Reflexões a partir da pandemia e seu contexto

Jorge Mario Jáuregui

151.06 iphan em risco

Sobre a nomeação de blogueira para a coordenação técnica do Iphan-RJ

Nota pública

Entidades de arquitetura, patrimônio e cultura

151.07 homenagem

Brasília histórica

A capital federal faz sessenta anos!

Rodrigo Queiroz

151.08 patrimônio cultural

Sobre as nomeações de profissionais sem qualificação adequada para cargos de chefia no Iphan

Nota pública

Membros do Conselho Consultivo do Patrimônio Cultural

151.09 sociedade

Qual vírus?

Pandemia de coronavírus versus endemia de cegueira e indiferença

Carlos A. Ferreira Martins

newspaper


© 2000–2020 Vitruvius
All rights reserved

The sources are always responsible for the accuracy of the information provided