Your browser is out-of-date.

In order to have a more interesting navigation, we suggest upgrading your browser, clicking in one of the following links.
All browsers are free and easy to install.

 
  • in vitruvius
    • in magazines
    • in journal
  • \/
  •  

research

magazines

drops ISSN 2175-6716

abstracts

português
Edison Ribeiro, professor de arquitetura, faz uma coletânea de versos das escolas de samba contra a violência contra as comunidades pobres do Rio de Janeiro e São Paulo.

how to quote

RIBEIRO, Edison. Violência, ganância, hipocrisia. As denúncias políticas das escolas de samba no carnaval 2020. Drops, São Paulo, ano 20, n. 149.04, Vitruvius, fev. 2020 <https://pop.www.vitruvius.com.br/revistas/read/drops/20.149/7648>.



O crítico diz: “ah, esses desfiles são pura alienação, só pra esquecer os problemas do país e...”

Enquanto isso, nos desfiles:

“Pelo amor de Deus, pelo amor que há na fé
Eu respeito seu amém
Você respeita meu axé”
(Grande Rio)

“Favela, pega a visão
Não tem futuro sem partilha
Nem messias de arma na mão”
(Mangueira)

“A gente tem que acordar
Da 'lama' nasce o amor
Quebrar as agulhas
Que vestem a dor.
Brasil
Enfrente o mal que te consome
Que os filhos do planeta fome
Não percam a esperança em seu cantar”
(Mocidade Independente)

“Nossa aldeia é sem partido ou facção
Não tem bispo, nem se curva a capitão”.
(Portela)

“Aqui o negro não sai de cartaz
Se entregar, jamais!”
(Salgueiro)

“Brasil, compartilhou, viralizou, nem viu!
E o país inteiro assim sambou
Caiu na fake news!”
(São Clemente)

“O chumbo trocado, o lenço na mão
Nessa terra de Deus dará...
Eu sei o seu discurso oportunista
É a ganância, hipocrisia”
(União da Ilha)

“A minha felicidade mora nesse lugar
Eu sou favela
O samba no compasso é mutirão de amor
Dignidade não é luxo, nem favor”
(Unidos da Tijuca)

“A coragem vem da alma de quem ergueu o parlamento
Do castigo na senzala à miséria da favela
O povo não se cala, oh
Tereza de Benguela...”
(Barroca Zona Sul)

“É preciso lutar, exaltando Penhas e Marias
Que clamam por direitos, igualdade
Essa é a tua vontade”
(Mancha Verde)

“Brasil, não vim pra ser escravo nem servil
Sou filho dessa pátria mãe gentil
Que traz a esperança no olhar
Oh, meu país… que tanto sustentei em meus braços
Espelha tua grandeza num abraço
Revela o meu dom de encantar
Não é esmola teu reconhecimento”
(Tom Maior)

sobre o autor

Edison Ribeiro é arquiteto (Universidade Guarulhos, 1992), mestre e doutor em arquitetura (FAU Mackenzie, 2013 e 2018), professor da FAU Mackenzie, da Uninove e da Universidade Bandeirantes (Anhanguera). Atua como professor convidado do curso de pós-graduação na Universidade Estácio e na Universidade Municipal de São Caetano do Sul.

 

comments

149.04 cultura
abstracts
how to quote

languages

original: português

share

149

149.01 política

A culpa não é das chuvas

Parte 4

Carlos A. Ferreira Martins

149.02 lixo e enchente

O lixo atrapalha, mas não é o vilão das enchentes

Álvaro Rodrigues dos Santos

149.03 pesquisa

Ocupação Rino Levi

Notas sobre evento organizado pela FAU USP e Itaú Cultural

Ana Lanna

149.05 instalação e cinema

Quando Cildo e King (quase) se encontraram

Ulisses Castro

149.06 política cultural

A última sessão do Cinearte

O fechamento dos cinemas de rua em São Paulo

Nabil Bonduki

149.07 política pública

A culpa não é das chuvas

Parte 5

Carlos A. Ferreira Martins

149.08 política habitacional

Moradia adequada é um direito!

Raquel Rolnik

149.09 vitruvius 20 anos

20 vezes Vitruvius

Fernando Diez

newspaper


© 2000–2020 Vitruvius
All rights reserved

The sources are always responsible for the accuracy of the information provided