Your browser is out-of-date.

In order to have a more interesting navigation, we suggest upgrading your browser, clicking in one of the following links.
All browsers are free and easy to install.

 
  • in vitruvius
    • in magazines
    • in journal
  • \/
  •  

research

magazines

drops ISSN 2175-6716

abstracts

português
A crítica de design Ethel Leon comenta o design gráfico praticado por Moema Cavalcanti.

how to quote

LEON, Ethel. Moema Cavalcanti (1942–). A mulher na história do design. Drops, São Paulo, ano 20, n. 146.02, Vitruvius, nov. 2019 <https://pop.www.vitruvius.com.br/revistas/read/drops/20.146/7531>.



Boa notícia: Moema Cavalcanti lançou no sábado, dia 26 de outubro de 2019, no Instituto Tomie Ohtake seu livro, acompanhado de exposição dos seus trabalhos.

Conhecida como a designer que mais capas de livros realizou (mais de 1200, para várias editoras), Moema fez seu grande aprendizado na Editora Abril, onde começou a trabalhar nos anos 1960.

Embora utilizasse o grid e fosse bem atenta à hierarquia das informações, Moema trilhou caminho muito aberto, dialogando com domínios amplos das artes gráficas. Abriu seu escritório próprio em 1975 em que desenvolveu logos, programas de identidade visual, cartazes e publicações, tornando-se referência no design editorial brasileiro.

Suas capas para os célebres volumes da Funarte, que publicavam seminários organizados por Adauto Novaes, tornaram-se marcos da renovação editorial brasileira. Neles Moema realizou rasgos controlados nas capas, que funcionam de várias maneiras, como no livro O olhar, em que brinca com a noção de voyeurismo, na janela que se entreabre.

Em Os sentidos da paixão faz dois cortes que deixam entrever cor vermelha sobre capa cinza, linda representação desse estado do corpo e da alma em que nos perdemos de nós mesmxs e pensamos que nos achamos no(a) outro(a). São rasgos de sangue/morte e fertilidade/vida, tarefas do vermelho, cortantes, mas irregulares. Paixão.

Tive curiosa conversa com ela anos depois da saída desta coleção. Lembro de comentar que ela devia admirar muito o trabalho de Lucio Fontana. Ela me encarou surpresa, dizendo que nunca ouvira falar dele. Até hoje não sei se foi uma boutade. Mesmo porque os rasgos dos livros têm sentido bem diferente daqueles operados pelo artista.

Outra das táticas de projeto de Moema são citações de saberes femininos ancestrais que ela tanto admirava e que aprendeu com sua mãe, em Pernambuco.

nota

NE – terceiro texto da série “Terça-feira das mulheres”, publicado pela autora em sua página Facebook.

sobre a autora

Ethel Leon é jornalista, pesquisadora, professora na área de história do design brasileiro e autora dos livros Memórias do design brasileiro, IAC – Primeira Escola de Design do Brasil, Michel Arnoult, design e utopia – móveis em série para todos e Design brasileiro – quem fez, quem faz.

Capas de Moema Cavalcanti para a série da Funarte, organizada por Adauto Novaes e publicada pela editora Companhia das Letras

 

comments

146.02 design
abstracts
how to quote

languages

original: português

share

146

146.01 homenagem

A risada firme de Julio Artigas

Que virou boas memórias de familiares e amigos

Alexandre de Oliveira Périgo

146.03 política

Quem são os avestruzes?

Ou, me engana que eu gosto

Carlos A. Ferreira Martins

146.04 invídia

Re-encontro...

Com Bruno Zevi

Maria Elisa Costa

146.05 design

Elvira de Almeida (1945-2001)

A mulher na história do design

Ethel Leon

146.06 educação

Back to the past

Carlos A. Ferreira Martins

146.07 design

Emilie Chamie (1927-2000)

A mulher na história do design

Ethel Leon

146.08 homenagem

Nelci Tinem

Um agradecimento póstumo

Luiz Gustavo Sobral Fernandes

146.09 política

Os deuses e o destino

A perseguição como política de Estado

Carlos A. Ferreira Martins

newspaper


© 2000–2020 Vitruvius
All rights reserved

The sources are always responsible for the accuracy of the information provided