Your browser is out-of-date.

In order to have a more interesting navigation, we suggest upgrading your browser, clicking in one of the following links.
All browsers are free and easy to install.

 
  • in vitruvius
    • in magazines
    • in journal
  • \/
  •  

research

magazines

drops ISSN 2175-6716

abstracts

português
Texto em homenagem ao genial arquiteto brasileiro João Filgueiras Lima – Lelé, falecido em 2014.

english
Text in honor of the brilliant Brazilian architect João Filgueiras Lima – Lelé, recently deceased.

español
exto en honor al brillante arquitecto brasileño João Filgueiras Lima – Lelé, fallecido em 2014.

how to quote

JATOBÁ, Sergio. João Filgueiras Lima, Lelé. Genialidade e generosidade na arquitetura (1932-2014). Drops, São Paulo, ano 15, n. 087.02, Vitruvius, dez. 2014 <https://pop.www.vitruvius.com.br/revistas/read/drops/15.087/5361>.



Lelé é um dos três grandes da arquitetura brasileira, junto com Oscar Niemeyer e Lúcio Costa. Assim disse Lúcio sem falsa modéstia e sabedoria. Brasília marcou a carreira dos três. Se Lucio a concebeu urbanisticamente, Oscar nela projetou os edifícios que o alçariam ao reconhecimento internacional e Lelé, que participou ativamente de sua construção, em Brasília moldou seu perfil profissional e deixou boa parte de seu legado arquitetônico.

Lelé é grande, porque, indo além de Oscar e Lúcio, aliou arte e tecnologia em sua obra. Foi um arquiteto construtor e em seus projetos a expressão plástica sempre esteve muito bem integrada com a solução tecnológica. Se Niemeyer mudou os rumos da arquitetura ousando na plástica, Lelé, mantendo a escola de seu mestre, criou nova escola, que valoriza a engenhosidade tecnológica sem deixar de ousar na plástica. E não seria isto o que melhor define a essência buscada, e nem sempre alcançada, da arquitetura moderna, muito além das discussões intermináveis sobre forma e função? E também não seria essa a característica que sobressai na obra de grandes ícones como Calatrava, Gehry, Hadid, Foster, Rogers e outros nomes que compõem o painel estelar da arquitetura contemporânea?

Lelé nunca procurou ser uma estrela. Nele o reconhecimento profissional não era uma vaidade pessoal, mas o resultado de uma busca perfeccionista de uma arquitetura com racionalidade construtiva, criatividade tecnologia adequada à realidade social, conforto ambiental e expressão plástica não gratuita. Essa arquitetura, que Lelé já fazia desde o início de sua carreira é a verdadeira arquitetura sustentável, que tanto se valoriza hoje em dia.

Lelé sempre projetou a frente de seu tempo. Sua arquitetura, por traduzir sustentabilidade ambiental, econômica e social é modelo para a arquitetura do futuro. Seus projetos apontavam para uma sociedade eficiente, justa e bonita. Basta ver obras como os hospitais da Rede Sarah, as escolas de argamassa armada e os projetos habitacionais desenvolvidos e nunca executados para o Programa Minha Casa Minha Vida, para constatar que Lelé já materializava essa sociedade ainda utópica na sua obra.

Por essa característica visionária e que certamente será a cara da nova arquitetura do século 21, Lelé merecerá o amplo reconhecimento que não obteve em vida, a não ser para aqueles que sabem o grande valor, ainda não totalmente desvendado, do seu legado arquitetônico e humano.

Salve Lelé, descanse em paz, porque na grandiosidade da sua obra e personalidade geniais e generosas ainda há muitas lições que precisamos apreender.

sobre o autor

Sérgio Jatobá, arquiteto e urbanista (UnB, 1981). Doutor em Desenvolvimento Sustentável (UnB/Univerdidad de Valladolid, 2006). Servidor do Governo do Distrito Federal e pesquisador do Núcleo de Estudos Urbanos e Regionais – NEUR e do Centro de Desenvolvimento Sustentável da Universidade de Brasília. Foi pesquisador bolsista do IPEA.

Lelé e sua filha Adriana no lago construído pelo arquiteto no Park Way, Brasília DF
Acervo da família [Arquitetura, uma experiência na área da saúde, Romano Guerra, 2012]

 

comments

087.02 homenagem
abstracts
how to quote

languages

original: português

share

087

087.01 lina 100 anos

Porque falar de Lina Bo Bardi

Centenário da arquiteta

Liana Perez de Oliveira

087.03 política

Cuba

O dia em que a terra parou

Gabriela Orlandi

087.04 exposição

Falso movimento

Jacopo Crivelli Visconti

087.05 fotografia

Araquém Alcântara

Coleção Ipsis de Fotografia Brasileira

Eder Chiodetto

087.06 fotografia

Nelson Kon, o fotógrafo cronista

Coleção Ipsis de Fotografia Brasileira

Eder Chiodetto

087.07 fotografia

Cristiano Mascaro, fotogenia e latências

Coleção Ipsis de Fotografia Brasileira

Eder Chiodetto

087.08 política pública

Hora de cobrar

Segurança pública ou programas sociais, educacionais, culturais e de saúde qualificados?

Luiz Fernando Janot

087.09 resposta

Bienal de Veneza

Resposta às críticas de Ana Luiza Nobre

André Corrêa do Lago

newspaper


© 2000–2020 Vitruvius
All rights reserved

The sources are always responsible for the accuracy of the information provided