Your browser is out-of-date.

In order to have a more interesting navigation, we suggest upgrading your browser, clicking in one of the following links.
All browsers are free and easy to install.

 
  • in vitruvius
    • in magazines
    • in journal
  • \/
  •  

research

magazines

drops ISSN 2175-6716

abstracts

português
Adriana Xaplin apresenta o conceito do Museu de Percurso do Negro em Porto Alegre, projeto que busca visibilizar a comunidade afrobrasileira com a instalação de obras de arte em espaços públicos da cidade.

how to quote

XAPLIN, Adriana. Vitalizando a simbologia negra nos espaços públicos. O Museu de Percurso do Negro em Porto Alegre. Drops, São Paulo, ano 15, n. 086.04, Vitruvius, nov. 2014 <https://pop.www.vitruvius.com.br/revistas/read/drops/15.086/5341>.



Na história da humanidade, verifica-se que símbolos e signos são importantes para a formação e fortalecimento das culturas de cada lugar, tendo inclusive  voz própria. Mostra-se importante e urgente a vitalização da simbologia artística negra na cidade de Porto Alegre, assim como outros grupos étnicos já conquistaram, através de manifestações e construção de obras públicas em memória àqueles povos que colaboraram na formação da capital dos gaúchos.

Atualmente no mundo contemporâneo essa construção se dá, via de regra, por meio de expressões diversas, como poesias, performances, apresentações teatrais, danças, manifestações religiosas e, principalmente, com a representação simbólica de caráter étnico e heroico nas artes visuais.

Reconhecendo a importância da pesquisa histórico-antropológica e da documentação proveniente da concretização de políticas públicas implementadas pelos órgãos governamentais e, além disso, pelo protagonismo da sociedade civil com a efetiva participação das entidades do movimento negro local, é visível que a representação simbólica negra beneficiará direta e indiretamente considerável parcela da população.

Com essa iniciativa implementada pelo Programa Monumenta / Iphan, é com muita satisfação que  estamos presenciando, através do resgate da trajetória negra, a construção de um “museu a céu aberto” – o Museu de Percurso do Negro em Porto Alegre (1) –, mediante conquistas essencialmente coletivas, em territórios que tecem a rede do Percurso do Negro na nossa cidade.

Com a construção coletiva do Tambor, a primeira obra pública do Museu, e a inauguração da Pegada Africana, do artista Vinicius Vieira, consolidam-se os símbolos de representação negra em Porto Alegre, contribuindo para reescrever a verdadeira história do Brasil, que se concretizará ainda mais com a execução das próximas obras públicas do Museu de Percurso do Negro em Porto Alegre, de autoria dos artistas Leandro Machado e Pelópidas Thebano.

nota

1
Museu de Percurso do Negro em Porto Alegre <http://museudepercursodonegroemportoalegre.blogspot.com.br/>.

sobre a autora

Adriana Xaplin é gestora cultural, artista visual e curadora da galeria Espaço IAB/RS.

Pegada africana, Praça da Alfândega, Porto Alegre, 2011. Monumento de aço-inox e pedras de Vinicius Vieira
Foto divulgação [Museu de Percurso do Negro em Porto Alegre]

 

comments

086.04 cidadania
abstracts
how to quote

languages

original: português

share

086

086.01 exposição

Canções de amor

V Mostra 3M de Arte Digital

Paulo Miyada

086.02 contemporaneidade

Não-lugares

Um olhar sobre as metrópoles contemporâneas

Ulisses Maciel

086.03 homenagem

A terra mais perto do céu

Bicentenário de morte de Antônio Francisco Lisboa, conhecido como Aleijadinho

Luiz Philippe Torelly

086.05 digital

Casa das Canoas

Conservar a memória

Marcello Balzani and Denise Araújo Azevedo

newspaper


© 2000–2020 Vitruvius
All rights reserved

The sources are always responsible for the accuracy of the information provided