Your browser is out-of-date.

In order to have a more interesting navigation, we suggest upgrading your browser, clicking in one of the following links.
All browsers are free and easy to install.

 
  • in vitruvius
    • in magazines
    • in journal
  • \/
  •  

research

magazines

drops ISSN 2175-6716

abstracts

português
Bruno Dalto afirma que o Brasil está "na boca dos gringos", não só na política, mas também suas produções cultural e arquitetônica. Devido a isso, cresce o número de publicações sobre a produção brasileira e os principais assuntos são Brasília e o Moderno

how to quote

NASCIMENTO, Bruno Dalto do. A arquitetura brasileira na gringa. Drops, São Paulo, ano 11, n. 035.04, Vitruvius, ago. 2010 <https://pop.www.vitruvius.com.br/revistas/read/drops/11.035/3525>.



O Brasil está na boca do povo, digo, dos gringos. Teremos uma Copa em 2014 e uma Olimpíadas em 2016. Estamos entre os BRIC – Brasil, Russia, India e China – grupo de países emergentes que mais influenciam nas decisões e que estão se mostrando fortes para até criar uma nova ordem mundial (1).

Junto com toda essa divulgação política do país, a sua produção arquitetônica e cultural acabam sendo conhecidas de tabela. A curiosidade despertada pelo público estrangeiro faz com que mais e mais publicações, tanto de massa quanto especializadas, relatem sobre o que se produz aqui dentro.

Tratando de arquitetura, um assunto é comum desde a sua criação: Brasília. Divulgada pelos meios de comunicação na época por conta de sua criação (2), a capital recebe agora uma divulgação no exterior por conta dos seus 50 anos e com ela a visão gringa a respeito da arquitetura do país (3). A nova capital ajudou a criar os ícones da arquitetura brasileira tanto para o exterior quanto para os próprios brasileiros, pela dimensão e divulgação da construção da nova capital.

Assim como Brasilia, todo o legado do Movimento Moderno foi e está sendo bastante divulgado também. Desde a exposição Brazil Builds no MoMA em Nova Iorque, ele foi considerado único, diferenciado do resto do mundo.

No aspecto do urbanismo, além de Brasilia, a cidade de Curitiba tem frequentes comentários sobre a proposta de acunpultura urbana de Jaime Lerner, como cidade com solucões criativas para problemas ambientais e urbanos (4).

A produção contemporânea também tem sido bastante comentada. Um dos escritórios mais mencionados é o paulista Triptyque (5) que chama a atenção pela preocupação ambiental, a hablidade no design e no manejo com diferentes materiais no projeto.

A revista inglesa Wallpaper incluiu no seu Architects Directory novos escritórios de diferentes partes do país como o escritório Vazio S.A. de Belo Horizonte, Atelir UM de Curitiba e Studio Paralelo de Porto Alegre (6). Esse inclusão mostra o alcance dos expoentes da arquitetura brasileira, ao serem divulgados no exterior.

A divulgação internacional deve ser observada e entendida como meio de criação da imagem no país no exterior. Também como um termômetro para a nova produção, pois a fama estrangeira, acreditamos, só acontece quando a qualidade ultrapassa as barreiras nacionais.

As notas desse artigos são alguns exemplos de onde podem ser encontradas as informações mencionadas ao longo do texto.

notas

1
http://curiouscapitalist.blogs.time.com/2010/04/16/the-brics-plotting-a-new-world-order/

2
http://www.time.com/time/magazine/article/0,9171,826288,00.html

3
http://www.wallpaper.com/architecture/brasilia-in-pictures-50-great-buildings-50-years/4553

4
http://www.architecturaldigest.com/homes/homes/2009/07/bertoldi_article

5
http://www.dezeen.com/2008/08/31/harmonia-57-by-triptyque/

http://www.archdaily.com/6700/harmonia-57-triptyque/

http://www.contemporan.com/en/sao-paulo/triptyque/6
http://www.wallpaper.com/architecture/brazil-architects-directory/4493

ilustrações

Desenhos do autor

sobre o autor

Bruno Dalto é estudante de graduação do curso de Arquitetura e Urbanismo no Departamento de Arquitetura e Urbanismo da Universidade Federal de Viçosa.

 

comments

newspaper


© 2000–2020 Vitruvius
All rights reserved

The sources are always responsible for the accuracy of the information provided