Your browser is out-of-date.

In order to have a more interesting navigation, we suggest upgrading your browser, clicking in one of the following links.
All browsers are free and easy to install.

 
  • in vitruvius
    • in magazines
    • in journal
  • \/
  •  

research

magazines

drops ISSN 2175-6716

abstracts

português
Hugo Segawa faz homenagem à arquiteta Nelci Tinem, professora da Universidade Federal da Paraíba, recém falecida.

how to quote

SEGAWA, Hugo. Nelci Tinem. Um carinho que se encerra. Drops, São Paulo, ano 19, n. 140.09, Vitruvius, maio 2019 <http://pop.www.vitruvius.com.br/revistas/read/drops/19.140/7369>.



Nelci Tinem (1) era uma das nossas olheiras na antiga revista Projeto. Em 1987 fui para João Pessoa fazer o levantamento que resultou no livro Arquitetura no Brasil/Anos 80 (2). Seu conhecimento e rede de contatos foi muito importante para estabelecermos um mapeamento da arquitetura no país, naqueles anos em que prevalecia um olhar concentrado para a produção do sudeste/sul, e que Vicente Wissenbach, editor da revista, teimava em superar.

A figura de Nelci em João Pessoa tinha uma carga especial. Mulher, paulista de origem (era de Sorocaba), formada na UnB em tempos difíceis (1975), militante estudantil, militante docente, foi parar no Nordeste. Recordo-me de uma conversa (doida) que tivemos, naquele contexto peculiar de época e lugar. Um pouco antes, fizera sucesso o filme Paraíba, Mulher Macho, cujo título derivava do baião consagrado por Luiz Gonzaga. Como se sabe, as letras tinham conotações políticas. Sua diretora era Tizuka Yamazaki, nissei como Nelci. A confluência de etnia e gênero era motivo de trocadilhos para ela. Quando ela me apresentava às pessoas, dizia: “trouxe meus parentes aqui”, naquela cidade deserta de asiáticos. Havia um sentido de desbravamento com uma professora que ingressava no Curso de Arquitetura em 1977, dois anos após a sua criação. Decerto foi a última das pioneiras em atividade.

Em 1990 pedi à Nelci um artigo para a edição especial da Projeto dedicada a um balanço dos anos 1980. A ideia era apresentar aos leitores o que de mais importante fora publicado nessa década em Arquitetura e Urbanismo. Junto com Nelci, pedi a Agnaldo Farias e Geraldo Gomes da Silva o exame da produção editorial da década, que saiu na edição 129 de 1990.

Confiro, hoje, que esse artigo foi o segundo trabalho publicado por ela. A trajetória de Nelci reflete a trajetória dos pioneiros. Dedicados à consolidação do curso e às aulas, questões hoje triviais – como títulos e produtividade científica – não eram realidades obsessivas. Dez anos depois de concluir seu mestrado em Planejamento Urbano e Regional na Universidade Federal do Rio Grande do Sul, ela embarcou em 1992 para seu doutorado na Escuela Técnica Superior de Arquitectura de Barcelona. Dessa instância nasceu o livro O alvo do olhar estrangeiro: o Brasil na historiografia da arquitetura moderna (3), uma referência obrigatória em nossa literatura aos tantos que estudam a arquitetura moderna brasileira.

Nas duas edições desse livro guardo uma outra característica dela: a fragilidade do corpo. Para o lançamento da primeira edição, em 2002, ela confeccionou um carimbo: “Uma dedicatória provisória e deficiente, mas com muito carinho”. Quatro anos depois, um outro carimbo: “que o livro seja proveitoso como é inusitada a dedicatória ‘carimbada’”. Ela não conseguia assinar. Mas conseguia produzir muito. A cada encontro pessoal, Nelci me presenteava com uma nova e interessante publicação, realizada por ela e sua equipe. Infelizmente ela não conseguia me escrever dedicatórias. E essa fragilidade nos privou dela, prematuramente.

A última vez que a vi foi em João Pessoa. Em junho passado ela me escreveu: “Você se lembra que me prometeu uma vinda a João Pessoa? [...] Por favor, pense com carinho, consulte sua agenda e me responda POSITIVAMENTE”. Confesso que não me lembrava daquela promessa, mas quem poderia recusar com uma convocação dessas? Na prática, era para participar de uma banca de doutorado e das comemorações dos dez anos da criação do Programa de Pós-Graduação em Arquitetura e Urbanismo da UFPB com palestras, em uma programação que se estendia de setembro a novembro – e para as quais fui com a maior satisfação.

Muito triste, agora, porque não mais vou receber convocações da querida Nelci.

notas

1
Nelci Tinem era professora do Departamento de Arquitetura e Urbanismo, do Centro de Tecnologia, da Universidade Federal da Paraíba. Foi sócia fundadora da Associação de Docentes da Universidade da Paraíba – ADUFPB, contribuiu com as fundações do Sindicato de Arquitetos da Paraíba – SINDARQPB, do Instituto de Arquitetos do Brasil na Paraíba – IAB-PB, e do Programa de Pós-Graduação em Arquitetura e Urbanismo – PPGAU UFPB. Nelci Tinem faleceu no dia 26 de maio de 2019.

2
SEGAWA, Hugo Arquitetura no Brasil/Anos 80. São Paulo, Projeto, 1988.

3
TINEM, Nelci. O alvo do olhar estrangeiro: o Brasil na historiografia da arquitetura moderna. João Pessoa, Manufatura, 2002; 2a edição: João Pessoa, Editora Universitária UFPB, 2006.

sobre o autor

Hugo Segawa é arquiteto e professor-doutor da Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da Universidade de São Paulo – FAU USP, e autor de diversos livros e artigos sobre arquitetura brasileira e internacional.

 

comments

140.09 homenagem
abstracts
how to quote

languages

original: português

share

140

140.01 design

Matéria da invenção

Para dizer que nem tudo é insignificante no Brasil atual

Ethel Leon

140.02 ensino

Destruição em marcha acelerada – parte 2

Folow the money

Carlos A. Ferreira Martins

140.03 ensino

A primeira pessoa com ensino superior

A trajetória da minha família para que eu pudesse ingressar na universidade

Camila Ferreira

140.04 meio ambiente

Contra o desmonte da governança socioambiental no Brasil

Comunicado dos ex-ministros de Estado do Meio Ambiente

Rubens Ricupero, Gustavo Krause, José Sarney Filho, José Carlos Carvalho, Marina Silva, Carlos Minc, Izabella Teixeira and Edson Duarte

140.05 homenagem

Eu e I.M. Pei

Amigos por um dia

José Tabacow

140.06 ensino superior

A educação começou a se defender

Dois milhões de “idiotas inúteis” protestam nas ruas das cidades brasileiras

Carlos A. Ferreira Martins

140.07 evento

Seminário Lamemo 10 na FAU UFPA

Cybelle Salvador Miranda, Ronaldo Marques de Carvalho and Beatriz Trindade de Oliveira Lobato

140.08 política

Domingo é dia D

"Fiz que fui, não fui, e acabei fondo!"

Carlos A. Ferreira Martins

newspaper


© 2000–2019 Vitruvius
All rights reserved

The sources are always responsible for the accuracy of the information provided