Seu navegador está desatualizado.

Para experimentar uma navegação mais interessante, recomendamos que você o atualize clicando em um dos links ao lado.
Todos são gratuitos e fáceis de instalar.

 
  • em vitruvius
    • em revistas
    • em jornal
  • \/
  •  

pesquisa

guia de livros

Ministério da Educação e Saúde

lançamento

Ministério da Educação e Saúde

Ícone urbano da modernidade brasileira 1935-1945

Roberto Segre

Romano Guerra, São Paulo; 1ª edição, 2013

Patrocinadores: Vale, Caixa e Imprensa Oficial do Estado de São Paulo

edição em português
capa dura
544 p
17 x 24 x 10 cm
2500 g
ilustrado
colorido
fotos
desenhos
ISBN 978-85-88585-40-9

arquitetura e urbanismo (história da arquitetura)

Ministério da Educação e Saúde

sobre o livro

Prêmios

1º lugar Premiação IAB-RJ 2013, categoria produção teórica

CICA Special Prize of the Jury 2014 (Comité International des Critiques d'Architecture)

1º lugar Prêmio Jabuti 2014 (in memorian), categoria arquitetura e urbanismo

Prêmio Enanparq 2014, categoria livro autoral

Sobre o livro

A sede do Ministério da Educação e Saúde Pública (atual Palácio Capanema), projetada por uma equipe de arquitetos (Oscar Niemeyer, Carlos Leão, Ernani Vasconcelos, Affonso Reidy, Jorge Machado Moreira e Burle Marx) sob a direção de Lucio Costa e com a colaboração do mestre francês Le Corbusier, é considerada um dos mais importantes exemplos de arquitetura moderna no mundo. As inovações apresentadas, como a leveza do prédio pelo uso dos pilotis; a sua disposição livre no terreno do quarteirão na Esplanada do Castelo, que abre uma nova tipologia urbanística; a grande fachada de vidro que é a primeira curtain-wall da América Latina; a utilização dos brise-soleil móveis na fachada insolada; e a presença de artistas plásticos brasileiros da vanguarda com pinturas, murais, esculturas e um dos primeiros desenhos originais de áreas verdes, elaborado pelo paisagista Burle Marx, fazem deste edifício um ícone da arquitetura moderna brasileira e latino-americana.

Com antecedência á sua inauguração em 1945, o edifício apareceu em inúmeras revistas e livros nacionais e estrangeiros, assim como foi citado em todos os ensaios de história da arquitetura moderna do Brasil e da América Latina. No entanto, não há um livro que documente, não só a história da sua concepção, mas também seus aspectos, características e particularidades técnicas, estruturais, funcionais, formais, espaciais, artísticas e estéticas. O Ministério da Educação é Saúde Pública, é considerado o primeiro exemplo de prédio moderno de escritório, cujo protótipo definiu uma tipologia arquitetônica que, depois da Segunda Guerra Mundial, foi espalhada no mundo inteiro. Do ponto de vista arquitetônico e cultural, representa o início da modernidade no Brasil e a quebra da tradição acadêmica no país e na América Latina.

Imagem de 1941, Avenida Central, Rio de Janeiro
Página do livro [Divulgação]

O livro – que conta com tradução do original espanhol de Flávio Coddou e apoio à pesquisa do Prourb FAU UFRJ, Faperj e CNPq – faz uma análise dos fatores arquitetônicos, culturais e políticos que culminaram na síntese definida pela linguagem do prédio, que sintetiza a adaptação local do Movimento Moderno europeu. E também, a sua significação urbanística teve uma importante influência no desenvolvimento da cidade do Rio de Janeiro.

Paineis de azulejos e afrescos Cândido Portinari
Foto Nelson Kon [Divulgação]

sobre o autor

Roberto Segre
Roberto Segre (Milão, 1934 – Niterói, 2013), encerrou sua carreira com Professor Titular no Programa de Pós-Graduação em Urbanismo da Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da Universidade Federal do Rio de Janeiro e Pesquisador 1A do CNPq.

como citar

SEGRE, Roberto. Ministério da Educação e Saúde. Ícone urbano da modernidade brasileira 1935-1945. São Paulo, Romano Guerra, 2013.

comentários

revistas

jornal


© 2000–2019 Vitruvius
Todos os direitos reservados

As informações são sempre responsabilidade da fonte citada